Remédios naturais para a Gastrite

publicado em:9/03/17 7:02 PM Dicas

Os casos de gastrite têm aumentado nas últimas décadas. Doença de fundo emocional, ela é potencializada pelo ritmo frenético dos dias atuais, que aumenta o risco da ansiedade e do estresse. Dores de estômago frequente, especialmente quando localizadas na parte superior do abdômen, podem indicar a presença de gastrite, que pode evoluir para úlceras gástricas ou duodenais.

Felizmente, alguns tratamentos e remédios naturais contribuem para amenizar a dor e o desconforto. Os indicadores da gastrite são o surgimento de dores agudas na região estomacal, que são atenuadas depois das refeições, para ressurgirem algumas horas depois.

É importante ressaltar que, mesmo quando as dores parecem inofensivas, uma gastrite não tratada pode evoluir para úlceras. Nestes casos, podem surgir hemorragias internas, que, em alguns casos, podem necessitar de tratamento cirúrgico.

O ambiente estomacal é altamente ácido. Tanto a úlcera quanto a gastrite podem ser provocadas pela bactériaHelicobacter pylori, que coloniza naturalmente o órgão abdominal. A gastrite é uma inflamação geral do estômago, que chega a provocar feridas superficiais. A úlcera forma lesões profundas nas paredes do estômago – e as duas condições provocam muita dor.

O diagnóstico é obtido a partir do histórico médico dos pacientes. Em seguida, são realizadas endoscopias digestivas, exames que consistem na introdução de um tubo flexível (através da boca), que, por meio de um chip, capta imagens internas do esôfago, estomago e duodeno (parte superior do intestino delgado).

Os remédios naturais para gastrite

A gastrite pode se manifestar de forma aguda ou crônica, inclusive com intervalos de até 20 dias sem a ocorrência de desconfortos. Alguns pacientes, no início da evolução da doença, são assintomáticos. Além da H. pylori, a doença pode ser provocada pela deficiência de vitamina B12, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, alimentos picantes e ácidos, infecções virais ou fúngicas, doenças imunossupressoras, infestações parasitárias e estresse.

Carambola

gastrite-carambola

As sementes de carambola são úteis para reduzir a acidez estomacal. A fruta é um antiácido natural. Para fazer o chá, é necessário:

  • uma colher (chá) de sementes de carambola pulverizadas;
  • uma colher (chá) de sal preto (é um sal não refinado originário da Índia);
  • um copo (250 ml) de leite.

É possível incluir uma colher (chá) de gengibre seco (ou fresco e picado).

Coloque as sementes, o sal preto e o gengibre para ferver em um copo (250 ml) de água. Deixe reduzir até a metade. Coe a misture, inclua o leite (em temperatura ambiente) e beba meia xícara (chá) duas vezes ao dia, de manhã e à tarde. Continue consumindo até o desaparecimento dos sintomas.

Morango

Além de saborosas, estas frutas apresentam altos teores de compostos fenólicos, substâncias que exercem poder preventivo ou curativo em distúrbios inflamatórios e infecciosos, devido à ação antioxidante não enzimática (os morangos não provocam alterações na condução de energia para as células do nosso organismo).

gastrite-morango.jpg

Estudos de 2011 realizados por pesquisadores da Universidade de Oxford (Inglaterra) e de Colônia (Alemanha) concluíram que o consumo regular de morangos é capaz de reduzir os danos causados pelo excesso de bebidas alcoólicas. Para tratar a gastrite, é preciso ter à mão:

  • uma colher (sopa) de folhas secas de morango trituradas;
  • uma xícara (chá) de água.

Ferva a água, apague o fogo e adicione as folhas de morango. Deixe agir por dez minutos, coe e beba em seguida. A infusão pode ser ingerida até três vezes, até que os sintomas da gastrite desapareçam. Para prevenir a doença, comer algumas frutas é uma atitude inteligente.

Manjericão

Nativo da Ásia e da África ocidental, o manjericão também é útil para tratar gastrite. Altamente nutritivas, as folhas são muito pouco calóricas (fornecem apenas 20 calorias a cada cem gramas de consumo). O manjericão tem propriedades calmantes, antibacterianas, anti-inflamatórias e antioxidantes, é fonte de fibras solúveis, proteínas e das vitaminas A, B, C, E e K E também fornece os seguintes sais minerais: cálcio, ferro, magnésio, manganês, potássio e zinco.

gastrite-manjericao.jpg

Para tratar sintomas da gastrite, como dor de estômago, náuseas, vômitos e indigestão, mastigue folhas de manjericão várias vezes ao dia, como se fossem chicletes. A erva também elimina o mau hálito. Outra opção é preparar o seguinte chá:

  • uma colher (sopa) de folhas de manjericão trituradas;
  • uma colher (sopa) de gengibre fresco picado;
  • uma xícara (chá) de água.

Ferva a água, apague o fogo e mergulhe os demais ingredientes. Tampe a infusão e deixe agir por dez minutos. Coe a mistura, adicione uma colher (sopa) de mel e tome três vezes ao dia. O período de consumo não pode ultrapassar três semanas.

Funcho

Trata-se da planta medicinal que produz as sementes conhecidas como erva-doce, facilmente encontrada em feiras livres, mercados e casas de ervas. Tradicionalmente utilizado para tratar bronquites, o funcho também combate verminoses, cólicas menstruais, vômitos e náuseas, problemas urinários (inclusive infecções), dores nos olhos e diarreia.

gastrite-fucho.png

O funcho regulariza as funções gastrointestinais, organizando o trato digestivo e reduzindo os sintomas da gastrite. O preparo do chá é simples: basta colocar uma colher (chá) de sementes em uma xícara (chá) de água fervente, deixar amornar, coar e beber (até cinco vezes ao dia). Se preferir, adoce com uma colher de mel.

A erva pode provocar algumas reações alérgicas leves e está contraindicada para grávidas e lactantes, crianças com menos de cinco anos e portadores de distúrbios da tireoide. Por outro lado, mastigar as sementes imediatamente depois das refeições impede o surgimento dos sintomas da gastrite.

Gengibre

As raízes do gengibre são conhecidas por suas propriedades anti-inflamatórias, calmantes e antibacterianas. Elas ajudam a reduzir as infecções e atenuar os processos inflamatórios. Também são úteis para reduzir a flatulência, indigestão, náuseas e inchaço abdominal.

gastrite-gengibre.jpg

Os ingredientes são os seguintes:

  • uma colher (chá) de gengibre picado;
  • uma colher (chá) de mel;
  • uma xícara de água.

Ferva a água, desligue o fogo e acrescente o gengibre (não deixe a raiz ferver, para manter a integridade dos nutrientes). Cubra a mistura durante dez minutos. Em seguida, coe, acrescente o mel e tome três vezes por dia, durante uma semana.

Hortelã

A hortelã-pimenta é outra planta conhecida pelas propriedades medicinais. A erva é útil para tratar gastrite naturalmente em função das propriedades antiespasmódicas, antieméticas, antibacterianas e anti-inflamatórias.

gastrite-hortela.jpg

O excesso deve ser evitado, uma vez que a hortelã-pimenta pode causar ou potencializar alergias, causando coceira, ardor e vermelhidão. O consumo exagerado da erva também pode provocar resultados inversos aos esperados no tratamento da gastrite, com a irritação da mucosa estomacal, náuseas e vômitos, azia, inchaço abdominal e indigestão.

Sob a forma de cápsulas ou óleo essencial, o consumo deve ser evitado por mulheres que querem engravidar, gestantes e lactantes, pois os princípios ativos podem ser transmitidos para o leite materno, prejudicando a amamentação. Óleos e tinturas de hortelã-pimenta são contraindicados para bebês e crianças com menos de cinco anos.

Utilize este vegetal também para cuidar de dores musculares, dores de estômago, síndrome do cólon irritável e enjoos matutinos da gravidez. Apesar de muito divulgado, não há provas sobre a capacidade de redução de peso com a ingestão deste chá ou com o uso de inalações.

A hortelã-pimenta pode ser utilizada em chás (15 gramas de folhas para uma xícara de chá de água), em sopas, saladas e sucos. O consumo do chá deve ser limitado a três xícaras ao dia, nos intervalos entre as refeições. Os comprimidos revestidos são bons auxiliares para amenizar a azia e os enjoos.

Camomila

Parte dos óleos essenciais da camomila é benéfica para o sistema digestório: estes nutrientes aliviam as paredes do estômago e duodeno e auxiliam na expulsão de gases. A erva também contribuir para reduzir os processos inflamatórios destes órgãos e diminui o risco do desenvolvimento de úlceras.

gastrite-camomila.jpg

Para o preparo do chá, é necessário:

  • duas colheres (sopa) de flores de camomila;
  • uma xícara (chá) de água quente.

Mergulhe a camomila na água quente, cubra e deixe a infusão agir por dez minutos. Coe e beba em seguida. Se preferir, adicione uma colher (sopa) de mel. O chá pode ser ingerido diversas vezes durante o dia, mas o consumo precisa se limitar a uma semana apenas.

Lembre-se:

• medicamentos à base de ácido acetilsalicílico, utilizados como analgésicos, danificam a mucosa gástrica e as paredes do estômago. A ingestão deve ser orientada por um médico;

• o consumo exagerado de álcool é uma das principais causas da gastrite aguda. Além disto, a ingestão de café, de alguns chás (como preto e mate) e de sucos cítricos em jejum aumentam os riscos de desenvolver a doença;

• alimentos muito condimentados também provocam gastrite. Evite exagerar na pimenta, alho, páprica, açafrão e temperos prontos. Os embutidos (salsichas, linguiças, salame, presunto, mortadela, etc.) também devem ser consumidos com muita moderação;

• inclua nas refeições (ou aumente o consumo) de mel, azeite, cheiro verde, aveia, banana, iogurte, sal negro, psyllium, sementes secas de mamão, canela, erva-doce e cardamomo verde, cenoura e água de coco.



Post Tags

Comentários



Font Resize